O Zumbis do Espaço é:

Tor Tauil - vocal
Zumbilly - bateria
Gargoyle - baixo
Machado - guitarra

O Zumbis do Espaço foi formado em 1996 por Tor nos vocais, Zumbilly na bateria e Gargoyle no baixo. Fãs de filmes de terror, livros e quadrinhos de ficção, eles tiveram a ideia de montar uma banda com essa temática e letras em português. Mais tarde convocaram Cromo, um amigo de longa data para a posição de guitarrista. Com algumas bandas nos currículos e vários anos ouvindo todo tipo de música, eles misturaram todas as influências para criar o som da banda.


Os ensaios começaram e eles logo entraram em estúdio para gravar a primeira e única fita demo, muito rara hoje em dia, chamada Demonotape. Ela contava com 4 músicas que, mais tarde, fariam parte do primeiro álbum, A Invasão. Todas as fitas foram numeradas e uma das cópias foi entregue a José Mojica Marins (Zé do Caixão). Com mais duas sessões de gravação o álbum estava completo e a banda logo pegou a estrada. Dia 15 de fevereiro de 97 o Zumbis do Espaço faz seu primeiro show no Black Jack em São Paulo. Ele foi apresentado por Von Victor, amigo da banda e desenhista de várias das suas capas.


Logo após o lançamento do álbum A Invasão, Gargoyle deixou a banda por motivos pessoais. No seu lugar, entrou o seu amigo e excelente baixista, Fábio "El Phantasma" Balbo, que havia tocado na primeira formação do Street Bulldogs que gravou o vinil Screaming For Anarchy de 1995. Com essa nova formação, o Zumbis do Espaço fez diversas apresentações e gravou, no dia 13 de julho de 97, o EP 3 Clássicos do Inferno. Ele foi lançado pouco tempo depois em vinil nas cores preta (30 cópias), azul (170 cópias) e amarela (500 cópias). Em 1998, a banda participou do programa Ultrasom da MTV, tocando as músicas Eu Me Tornei Um Mutante e Some Kinda Hate (Misfits). No mesmo ano foi lançado o EP Pesadelo Brasileiro.


O ano de 1999 começou com uma grande tragédia. Um grave acidente de moto tirou a vida do El Phantasma alguns dias após a gravação de O Despertar da Besta. Os demais membros, chocados com essa terrível perda, quase acabaram a banda, mas decidiram seguir. Então chamaram novamente Gargoyle, não somente por ser um dos membros da formação original, mas também porque ele era um grande amigo do falecido baixista. O EP Despertar da Besta foi lançado após sua morte e foi dedicado a El Phantasma. No mesmo ano, o Street Bulldogs lançou um split com a banda americana Turnedown e também dedicou o álbum a Fabio Balbo (El Phantasma).


Poucos meses depois, eles pegaram a estrada novamente para alguns shows em memória ao amigo perdido. No final de 1999 foi gravado o álbum Abominável Mundo Monstro e lançado em março do ano seguinte. Este disco mostrou a todos o som único da banda, uma bem sucedida mistura de estilos tão diferentes, como punk rock, metal, música country e rockabilly/psychobilly. Após a gravação, Cromo deixou a banda e em seu lugar entrou Hank Alien, guitarrista da banda Another Side, que também contava com alguns integrantes do Street Bulldogs.


Após muitas apresentações, incluindo a participação na turnê brasileira do Marky Ramone And The Intruders, em 2001, foi lançado seu primeiro álbum ao vivo chamado O Mal Nunca Morre. Ele foi gravado dia 9 de dezembro de 2000 no Hangar 110. Na mesma noite as bandas Holly Tree e Carbona também gravaram seus respectivos álbuns ao vivo. O Mal Nunca Morre mostra bem a energia presente nos shows do Zumbis do Espaço. Seguindo na estrada, a banda estava juntando uma legião de fãs pelo Brasil e outros países. No primeiro dia do Thirteen Festival, dia 26 de maio de 2001 no Hangar 110, enquanto a banda tocava Prostibulo do Inferno e Vampira, duas go-go girls fizeram strip-tease no palco, algo que causou revolta entre algumas feministas, que jogaram latas e garrafas nas dançarinas. Essas apresentações foram incluídas no filme pornô Malditos, lançado pela RedFire. Ainda em 2001, foi lançada a coletânea Horror Rock Deluxe que contava com os 3 EPs mais duas versões demo e uma música ao vivo inédita, a versão em português de Pet Sematary do Ramones chamada Cemitério Maldito. Em 31 de outubro (data que é celebrado o Halloween), o álbum A Invasão foi lançado em vinil 12 polegadas colorido e numerado. De 1 a 100 em vinil transparente, de 101 a 300 em vinil azul e de 301 a 500 vem inil verde. Nessa versão há uma música bônus, Wencha em português, um cover da banda Carbona.


O ano de 2002 foi muito produtivo, com grandes concertos e uma apresentação no programa Musikaos da TV Cultura, gravado dia 19 de fevereiro no Sesc Pompéia, onde a banda tocou Mato Por Prazer, A Marca dos 3 Noves Invertidos e Dia Dos Mortos. Essa última música inédita que viria a fazer parte do próximo disco, Aberrações Que Somos, um insano álbum com 17 músicas dedicadas aos verdadeiros fãs e considerado o mais violento da banda. Em maio foi lançado Spiele Des Horrors 96-99 na Europa, uma coletânea dos 3 primeiros álbuns mais duas músicas inéditas em CD, Wencha e Assassinos Por Natureza. Ainda em 2002, no final do ano, a banda voltou ao estúdio para a gravação da música Eu Era um Zumbi Adolescente para a trilha sonora do curta Crônicas de um Zumbi Adolescente e da música Vermes, cover de Garotos Podres para o cd tributo a eles.


Em 2003 a banda seguiu a turnê de Aberrações Que Somos tocando em diversas cidades onde o Zumbis ainda não havia ido. Em setembro foi lançado um CD split com o Grinders, para o qual o Zumbis gravou 7 músicas, 4 novas e 3 covers, Hybrid Moments (Misfits), Glad To See You Go (Ramones) e Vem a Vingança (Grinders). O Grinders regravou Guardada Para Sempre entre outras músicas. No dia 31 de outubro foi gravado o segundo disco ao vivo do Zumbis do Espaço, Somente Esta Noite: Aberrações Ao Vivo durante o já tradicional show de Halloween no Hangar 110 em São Paulo. Esse álbum foi lançado no íncio do ano seguinte enquanto a banda estava em turnê e preparando seu primeiro vídeo clipe para a música A Marca dos 3 Noves Invertidos.


No início de 2004 o Zumbis do Espaço participou do programa Gordo A Go-Go da MTV. Como Gargoyle não pôde estar presente, Melvin do Carbona foi o baixista. No final do ano a banda voltou ao estúdio para gravar o próximo álbum, Aqui Começa o Inferno, um disco que mostra um Zumbis mais maduro em termos de composição e execução. Pela primeira vez a banda convidou um músico (Joziel Wagner) para utilizar instrumentos pouco comuns nas gravações, como banjo, dobro e slide guitar, dando um tom de country music ao disco. Ele foi lançado no início de 2005 e vendeu cerca de 4000 cópias nos primeiros meses, uma marca expressiva para uma banda independente. E também rendeu à banda o prêmio de melhor álbum de punk/hardcore de 2005 da revista Dynamite e o Troféu Dia do Rock como melhor banda independente de 2006, oferecido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Dando sequência a turnê, a banda gravou o segundo clipe, a música escolhida foi Luxúria no Coração.


Dia 1º de setembro de 2005 foi a data escolhida para a gravação do primeiro DVD da banda, chamado Ao Vivo em Vegas e, como o nome sugere, o show ocorreu no Clube Vegas em São Paulo. Ele foi lançado em maio de 2006 e trazia, além do show completo, mais 4 vídeos do projeto solo do Tor, os 2 clipes que a banda possui e entrevistas com todos os componentes.


2009 começou com a promessa de um novo álbum, o sucessor do bem sucedido Aqui Começa o Inferno. A gravação do Destructus Maximus teve a participação de Heros Trench e Marcello Pompeu do Korzus e Joziel Wagner que já havia participado da gravação do álbum anterior, bem como do projeto solo do Tor. As gravações ocorreram entre janeiro e abril de 2009 no estúdio Mr. Sound. O show do dia 1º de agosto de 2009, no Bar do Zé em Campinas, entrou para a história da banda pois foi o último com Hank Alien como guitarrista do Zumbis do Espaço. No dia seguinte já foi anunciado o seu substituto, Renato Machado, da banda Lockfist 669. Ele estreiou no dia 23 do mesmo mês em São José do Campo.


O ano de 2010 começou bem para os fãs, em março o Destructus Maximus foi lançado em vinil preto com uma música a mais (Nada Além da Raiva). Em maio, os clássicos e esgotados álbuns, Horror Rock Deluxe e Aqui Começa o Inferno foram relançados em digipack com músicas bônus e liner notes. Devido a uma cirurgia, Machado ficou fora da banda por algumas semanas. Nos dias 29, 30, 31 de outubro e 1º de novembro ocorreram 4 shows de Halloween com Cromo na guitarra tocando os clássicos da fase em que ele fez parte da banda (A Invasão, Horror Rock Deluxe e Abominável Mundo Monstro). O show do dia 29/10 foi gravado e será lançado em DVD em breve.


No início do mês de outubro de 2011 foi lançado o DVD Ao Vivo no Inferno, gravado no ano anterior, com a participação do Cromo na guitarra. Pouco depois, mais um álbum fora de catálogo foi relançado em digipack. Dessa vez foi o clássico de 2002 Aberrações Que Somos. Essa nova edição conta com 3 músicas bônus (Eu Era um Zumbi Adolescente, Carcaça de um Outro Alguém e Verme). Na mesma época foi lançado o disco ao vivo Destructour - O Chamado da Estrada, gravado em 2009 no Hocus Pocus em São José dos Campos. Ele é o primeiro picture disc em formato 10 polegadas de uma banda brasileira. A arte foi feita pelo Daniel Ete, do Muzzarelas, o mesmo que fez a capa do Aqui começa o Inferno. Ainda em outubro saiu o novo álbum da carreira solo do Tor, Vol. 3 - Quando Se Perde a Razão. Em breve chegará sua versão em vinil. O tradicional show de Halloween do Zumbis do Espaço ocorreu no dia 28 no Inferno Club e contou com Cromo em algumas músicas.


Em março de 2012 é lançado, em edição limitada de 250 cópias e colorido (splatter nas cores creme e azul royal), o álbum "Quando Se Perde A Razão" do Tor Tauil. No mesmo mês foi realizado o último show da Destructour no Hangar 110. Em junho iniciaram as gravações de "Nós Viemos Em Paz", o novo CD do Zumbis do Espaço, o primeiro com a formação atual (com Machado na guitarra). A arte ficou a cargo do renomado artista americano Ed Repka e o álbum foi lançado em vinil 12" colorido (laranja translúcido, laranja opaco e magenta) e CD digipack em setembro. Ainda em 2012, em dezembro, mais dois álbuns são relançados em vinil. O Destructus Maximus recebeu dessa vez uma versão em vinil na cor rubi (magenta) e, em comemoração aos 10 anos do Aberrações Que Somos, o disco foi lançado em vinil 12" nas cores vermelho, vermelho translúcido e preto.